Rivera e Santana do Livramento além das compras

Neste mês embarcamos rumo à fronteira para fazer uma viagem de final de semana para as cidades de Rivera e Santana do Livramento, a chamada Fronteira da Paz. Meus companheiros nessa trip foram Livres e Selvagens e a Passageira. Eu, que já tinha ido para a região em 3 outras ocasiões, me surpreendi muito com as opções  de passeios por lá, são atividades que vão muito além dos free shops da Avenida Sarandi.

Então vamos ao roteiro que fizemos? Saímos de Porto Alegre na sexta à noite com o ônibus super cama da Turil. São quase 7 horas de viagem, embarcamos às 23h15 e chegamos a Rivera às 5h30. O ônibus é muito confortável, além de a poltrona reclinar quase totalmente, o espaço é muito bom entre elas e o que eu mais gostei: não tem vizinho ao seu lado. São três fileiras de poltronas separadas por dois corredores, você não corre o risco de fazer um trajeto grande com uma pessoa que você não conhece ou que está roncando no seu ouvido. O desembarque é no Shopping Siñeriz, onde há táxis aguardando.

Ônibus super cama da Turil sai 2 vezes por semana da rodoviária de Porto Alegre.

Fomos direto para o Hotel Emirates, que fica a algumas quadras do centro. O hotel faz parte do Grupo Verde Plaza que também administra os hotéis Portal e Verde Plaza no lado brasileiro e Nuevo Hotel, no lado uruguaio. O Emirates tem um super café da manhã, os quartos são espaçosos e a cama é enorme. Uma vantagem de ficar no hotel é que o transfer para o parque Amsterland é gratuito.

Nosso primeiro destino após o café foi a Casa Albornoz, que produz azeite de oliva, nozes e mel. A propriedade fica em Santana do Livramento, a aproximadamente 20 km do centro, e conta com uma vista incrível do Cerro Palomas. Lá conhecemos um pouco sobre a história da empresa e fizemos degustação dos azeites Casinha, com foco nas crianças, Casa e Reserva. Conhecemos ainda os cosméticos Casa Albornoz, a linha produzida à base do azeite de oliva, possui creme para as mãos, hidratante, sabonete líquido e óleo capilar, todos veganos. O horário para visitação é das 9h às 18 e não é necessário agendamento.

Apresentação da empresa antes da degustação

Rivera e Santana do Livramento

Oliveiras na Casa Albornoz

Vista para o Cerro Palomas

A próxima parada foi o Amsterland, um complexo turístico de águas termais. O parque conta com diversas atrações: uma “praia” com piscina com ondas, piscina com borda infinita, piscina com jatos, piscinas indoor com temperatura entre 34º e 38º C e toboáguas . Todas as atividades são inclusas no valor da entrada. Além disso, há área de alimentação, espaço kids e espaço bem-estar pagos conforme a utilização.

A piscina com ondas é a grande atração para os visitantes , a sensação é de estar realmente na praia, com faixa de areia, guarda sóis, cadeiras, salva vidas e com a vantagem de poder mergulhar em uma água cristalina. As crianças fazem a festa!  Outro lugar que vale muito a pena conhecer é o centro de bem-estar, lá você pode fazer uma série de massagens, e tratamentos, recomendo muito os banhos de imersão, com duração de aproximadamente 20 minutos. Fiz o banho de abundância e é muito relaxante!

Uma praia na fronteira

Piscina indoor com temperatura entre 34º e 36º C

A cada hora são 25 minutos de muitas ondas na piscina, com direito a guarda sol. faixa de areia e salva vidas.

O jantar foi no El Borrego, na Avenida Sarandi, um dos mais tradicionais restaurantes de Rivera. Serve carnes, massas e pizzas. Escolhemos o Entrecot Cuatro Pimientas , panqueca de dulce de leche como sobremesa e para acompanhar uma taça de vinho. Finalizamos a noite  no Rivera Casino Resort, para quem não joga há um pub no andar inferior.

No domingo visitamos a Bodega Cerro Chapeu, em Rivera. A vinícola fica na linha divisória entre os dois países, distante 12 km do centro, o caminho já é uma atração para os visitantes. A paisagem da campanha fica ainda linda com os marcos que separam Brasil e Uruguai e com o Cerro Chapeu ao fundo.

A construção da Cerro Chapeu também é um diferencial, ela foi a primeira vinícola na Améria do Sul a utilizar a gravidade no processo de vinificação, o que minimiza a interferência externa na produção, já que não é necessário realizar o bombeamento entre uma etapa e outra. São 4 andares nos quais o  líquido vai descendo à medida que avança no processo.

A degustação dos vinhos é feita na sala de jantar de uma casa em estilo espanhol, um jardim interno com fonte e vista para o campo completam o cenário. Fizemos a degustação de 4 vinhos acompanhada por empanadas: sauvignon blanc, pinot noir e dois rótulos de tannat . Há outras opções disponíveis, no site deles tem as opções e valores. Após experimentarmos os vinhos da casa fizemos um brinde na área externa. Há uma pequena loja na qual é possível fazer compras, incluindo o Amat, indicado no livro "1001 Vinhos para beber antes de morrer".

Nosso retorno no super cama da Turil foi no domingo à noite, com chegada em Porto Alegre  na segunda-feira pela manhã. Nem preciso dizer que depois deste final de semana a fonteira é um dos meus lugares preferidos no Rio Grande do Sul. E você? Tem alguma dica de Livramento e Rivera?

Quem escreve por aqui é Vanessa Vargas, formada em Relações Públicas pela UFRGS, empreendedora e mãe do Antônio.

2 Comentários

Deixe uma Resposta