Cozinha cinza: como utilizar a cor para um ambiente moderno e elegante

121 visualizações

Veja as dicas de arquitetos para apostar em uma cozinha cinza. Valorizar uma cor específica em um projeto pode ser sinônimo de elegância. Deixar de lado as misturas é um fator relevante para a monocromia, um recurso muito adotado em projetos de mobiliários. Sinônimo de elegância e sobriedade, o cinza é uma das cores que seguem em alta quando o assunto é eleger um tom para investir sem medo.

Todavia, mesmo com as tendências indicando que seu gradiente de tons pode ser aplicado em vários ambientes, inclusive na cozinha, surge a dúvida: como empregar na marcenaria e não deixar o ambiente tão sério? De acordo com arquitetos que já mergulharam na cor em seus projetos de cozinha, o segredo é dosar para que sua exposição propicie ares de um lugar gostoso, acolhedor e descontraído.

As arquitetas Paula Passos e Danielle Dantas, do escritório Dantas & Passos ArquiteturaCarina Dal Fabbro, do escritório que leva seu nome, e o arquiteto Renan Altera, do Altera Arquitetura, separaram dicas de como eleger o cinza para a marcenaria da cozinha, combinando com o restante da decoração. Tome nota a seguir!

Nesta cozinha assinada pela arquiteta Carina Dal Fabbro, a aposta foi por uma marcenaria predominantemente cinza. Executada pela SCA Jardim Europa, a constituição de gavetas, armários e espaço para os eletrodomésticos propiciaram ares requintados ao projeto | Foto: Rafael Renzo

Combinação e estilos

Por se tratar de uma cor neutra, a composição do cinza com outras tonalidades não é uma tarefa complicada. Considerado um tom frio dentro do espectro das cores, o cinza se integra de forma bastante harmônica com os amadeirados e tons quentes, variando de acordo com o ambiente e a decoração.

Em uma cozinha clássica, cores como o preto, branco ou bege são ótimas escolhas que contribuem para projetos repletos de personalidade. Integrado com a madeira, o resultado caminha para um ambiente equilibrado. "Entre suas características, o cinza tem a capacidade de enaltecer as cores que o acompanham, destacando principalmente os tons amadeirados", releva Carina Dal Fabbro.

Para ambientes com proposta mais descolada, conduzindo para um estilo mais contemporâneo, o cinza pode vir acompanhado por tons mais vibrantes como o turquesa, laranja, verde, amarelo ou até mesmo um pink. Já quem gosta da essência escandinava e clean tem a possibilidade de associar o cinza com madeiras mais claras e tons pastel, enquanto no industrial o décor pode contemplar pitadas de preto e o quente do terracota, muitas vezes presente em elementos com o tijolinho aparente.

 

Na cozinha integrada com os demais ambientes do apartamento, o projeto elaborado pelo arquiteto Renan Altera conciliou o grafite na marcenaria que envolve os eletrodomésticos, bem como os armários e gavetas abaixo da bancada. O clima sofisticado foi alinhado com o amadeirado presente nos detalhes da parte interna da marcenaria e no porcelanato que imita madeira, aplicado no piso. | Foto: Photons Fotografia | Henrique Ribeiro

Acabamentos

Junto com a decisão pelo cinza, o acabamento da marcenaria é outro ponto relevante a ser considerado, haja vista deve ser resistente e prático para a rotina de uma cozinha. Dessa forma, o cinza pode marcar presença em laminados, painéis de BP, melamínicos, laca ou MDF revestido em tons mais escuros (grafite) ou claro (cristal) – muito indicados para cozinhas em função de sua solidez. "Para quem deseja destacar o armário com uma base cinza, a laca brilhante se configura como uma excelente opção. O acabamento propicia fácil limpeza e visualmente chama bastante atenção, dando um ar ainda mais primoroso ao cômodo", explica a arquiteta Carina.

Neste projeto assinado pelo escritório Dantas & Passos Arquitetura, o aspecto monocromático é quebrado com o amadeirado que reveste o painel da TV e a mesa para refeições rápidas. Nas demais escolhas da cozinha, o cinza segue presente nos eletrodomésticos e no porcelanato que simula o efeito de cimento queimado no piso | Foto: Maura Mello

Decoração

Para o arquiteto Renan Altera, do escritório Altera Arquiteturaobjetos decorativos como utensílios amadeirados, bandejas, plantas ou mini horta, porta temperos, pratos decorativos, cantinho do café, fruteiras, tapetes e itens de vidro, no geral, são excelentes opções para adornar um ambiente de cozinha predominantemente cinza.

"Independentemente do objeto decorativo, gosto bastante de trabalhar com o contraponto de cor. Itens de madeira, brancos, verdes e vermelhos são os meus favoritos em uma base cinza", opina a arquiteta Carina Dal Fabbro.

Iluminação

Independentemente da cor da cozinha, a iluminação precisa ser pensada com muito carinho. Além de muito bem distribuída para facilitar o dia a dia, o projeto luminotécnico propicia um clima ainda mais aconchegante e especial.

Na cozinha, a iluminação pode ser associada com uma mescla de luzes frias e quentes. Enquanto a fria evoca o contraste e é mais indicada em áreas de preparo, a luz quente emana aconchego, se configurando como a escolha acertada para as áreas de refeições.

"Em cozinhas com armários ou base toda cinza, a luz pode ser absorvida pelos materiais mais escuros. Assim, sempre avaliamos o projeto como um todo para que o ambiente não fique escuro", sugere Danielle Dantas, do escritório Dantas & Passos Arquitetura. "É recomendável buscar lâmpadas com alto IRC (Índice de Reprodução de Cor) para que a cor dos alimentos não seja alterada", completa a arquiteta.

No projeto de Carina Dal Fabbro, o cinza foi eleito como base na tríade composta pela marcenaria, piso e parede. Segundo a arquiteta, a decisão conquistou a uniformidade desejada pelo cliente, que expressou seu desapreço pelo bege ou branco, bastante empregados nas cozinhas | Foto: Rafael Renzo

Mas não é apenas em armários de cozinha que o cinza é uma tendência na decoração. Em outros ambientes da casa como áreas de serviço, banheiros, dormitórios, home office e sala de estar a cor pode – e deve – marcar presença. "Por se tratar de um tom neutro, elegemos para todos os ambientes, desde que sejam consonantes com o conceito do projeto", reflete a arquiteta Paula Passos.

Manutenção

Apesar de ser um tom mais escuro, na cozinha o cinza é uma cor que evidencia a sujeira em uma escala menor, em detrimento dos tradicionais branco e bege, que demostram qualquer traço. "Devido sua cor semelhante ao pó, eventuais manchas ou sujeiras demoram mais serem percebidas", finaliza Renan.

Carina Dal Fabbro Arquitetura

www.carinadalfabbro.com.br

@carinadalfabbroarq
Dantas & Passos Arquitetura

www.dantasepassosarquitetura.com.br

@dantaspassos.arquitetura

Altera Arquitetura

@alteraarquitetura

Quem escreve por aqui é Vanessa Vargas, Relações Públicas, empreendedora e mãe do Antônio.

Deixe uma Resposta